shadow

O brasileiro José Ricardo de Oliveira finalizou o 3º Red Bull Kart Fight World entre os cinco melhores no maior campeonato mundial de kart amador. As provas finais foram realizadas no último final de semana (24 e 25 de abril), na Áustria. De acordo com os promotores do evento, em torno de 51 mil pilotos da Europa, Japão, Brasil e Oriente Médio disputaram as 18 vagas para a Final Mundial. O campeão foi Andrejs Laipnieks, da Letônia.”Fiz o possível e praticamente não cometi erros, por isso saio bastante satisfeito com o resultado. Neste tipo de campeonato os equipamentos são sorteados antes dos primeiros treinos e você guia o mesmo kart até a última corrida. Desta forma, também depende um pouco de sorte”, comentou José Ricardo de Oliveira, quinto colocado.

A Final Mundial aconteceu no kartódromo do Red Bull Ring, em Spielberg, palco do GP da Áustria de Fórmula 1. As disputas foram realizadas com karts sorteados que utilizaram o chassi francês Sodikart ODI RX e o motor KZ de 250cc, com 28 hps.

Na classificação para as eliminatórias José Ricardo de Oliveira fêz o oitavo tempo entre os 18 pilotos, a sete décimos de segundo em relação ao pole position, o finlandês Mika Helen. “Faltou pegar vácuo na volta rápida”, explicou o paulista. Em seguida foram realizadas três corridas eliminatórias, que decidiram a posição de largada para a Final.

Na primeira eliminatória, realizada com os 18 karts parados no grid de largada, José Ricardo terminou em sétimo, a 2s9 do vencedor. “A pista não tem muitos pontos de ultrapassagem, então precisa calcular muito bem para não perder tempo na corrida”, disse confiante depois de analisar o circuito de 980 metros de comprimento.

Na segunda eliminatória a largada foi em estilo “Le Mans”, com os pilotos em pé do outro lado da pista e tendo que correr para saltar sobre o seu kart e partir. O posicionamento foi invertido entre os 12 primeiros. “Pulei para primeiro na largada, mas com muitos pilotos em grupo e buscando vácuo em fila. Nas últimas voltas cai para terceiro e preferi administrar para a somatória de pontos”.

Na última eliminatória a largada foi em movimento. “Meu motor não tinha força em saída de curva de baixa velocidade, tive que me adaptar. Vou ter que improvisar na final e fazer o possível”, planejou Oliveira, que recebeu a bandeirada novamente em terceiro. Na combinação de resultados, com dois terceiros e um sétimo, o paulista ficou com direito de largar em quarto na Final.

A finalíssima teve largada em estilo “Le Mans” e José Ricardo pulou de quarto para terceiro, mas infelizmente o motor não estava muito bom em saída de curva e os dois primeiros colocados aumentaram a vantagem. Assim, os outros pilotos se aproximaram e utilizaram o vácuo na reta para ultrapassar o brasileiro nos instantes finais. “Eu tentei administrar meu posicionamento para me aproximar dos primeiros, mas não conseguia entrar no vácuo de ninguém, foi dureza”, lamentou o quinto colocado.

“Só tenho que agradecer à Red Bull por todo o suporte neste grande evento, que sem dúvidas irá crescer a cada ano. Agora é se preparar para estar aqui novamente em 2016!”, encerrou José Ricardo de Oliveira, irmão mais novo do piloto João Paulo de Oliveira, profissional há vários anos no Japão, onde corre na Super Fórmula (antiga F-Nippon) e na Super GT 500.

Confira os seis primeiros no 3º Red Bull Kart Fight World Final:
1) Andrejs Laipnieks (Latvia), 36 voltas em 29min36s552;
2) Mika Helen (Finlândia), a 1s204;
3) Mohamed Matar (Bahren), a 3s052;
4) Karlheinz Riedl (Áustria), a 3s539;
5) José Ricardo de Oliveira (Brasil), a 4s643;
6) Kenta Kawafuku (Japão), a 6s912.

Foto: José Ricardo de Oliveira, vencedor da Seletiva Brasil – (Bruno Terena)

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do KartSP.

Comentários