shadow

A chegada do espanhol Jorge Lorenzo ao time Honda, ao lado do atual campeão mundial, tem como objetivo claro colocar os dois competidores estrela na frente do campeonato, mas o piloto número 99 ainda não conseguiu se adaptar ao ritmo de competição da equipe japonesa.

Crédito da imagem: Pixabay.com

Márquez na glória, Lorenzo na sombra

Uma notícia muito importante no mundo do motociclismo, foi a chegada de Jorge Lorenzo à Repsol Honda Team, ao lado de seu compatriota e atual campeão da mais alta categoria do motociclismo, Marc Márquez. Tão marcante foi a saída de Lorenzo de Ducati e sua chegada à Honda, que no final de março uma entrevista feita pela revista GQ para Jorge Lorenzo foi tornada pública, onde ele elevou as expectativas de seu trabalho na equipe em direção a limites difíceis de alcançar. Como mostra o site da Globoesporte, “Márquez e eu na Honda é como juntarmos Ronaldo e Messi no mesmo clube”, foram as palavras com as quais, Lorenzo descreveu sua participação ao lado do campeão Marc Márquez dentro da mesma equipe para este ano. No entanto, depois de duas datas no campeonato, Lorenzo ainda não conseguiu afirmar suas próprias palavras com resultados dentro das pistas. Por sua parte, Márquez obteve a segunda posição no GP do Qatar, e deu uma Masterclass de condução no GP da Argentina. Além disso, ele recuperou a primeira posição do campeonato de pilotos e tornou-se o favorito na casa de apostas esportivas Betway para ganhar o campeonato de 2019, com surpreendentes 82% de possibilidades em 3 de abril. No entanto, Lorenzo teve que se contentar com o 13.º e o 12.º lugar no Qatar e na Argentina, respectivamente. Embora seja verdade que a adaptação a uma nova equipe leva tempo para qualquer piloto, Lorenzo se tornou conhecido nos últimos anos por sua dificuldade de se juntar a outras equipes. Por exemplo, durante a sua passagem pela Ducati, Lorenzo enfatizou constantemente a dificuldade de encontrar uma posição de condução ideal, assunto que foi resolvido até aos últimos dias do campeonato de 2018, e muito próximo da sua saída da time italiana. Marc Márquez inclusive já expressou sua opinião sobre a adaptação de Lorenzo na Honda, comentando que “seu aprendizado está custando custando mais do que o esperado”, como publicado pelo Motorsport após a corrida na Argentina. Embora seja verdade que Lorenzo é rápido, como demonstrou com os seus três campeonatos com a Yamaha, a incerteza sobre quando ele poderá lutar de verdade por vitórias com a Honda é bastante grande.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Jorge Lorenzo (@jorgelorenzo99) on

Márquez e seus concorrentes em 2019

Enquanto Lorenzo procura se adaptar ao seu novo time, Marc Márquez já até superou quedas e se mostrou competitivo desde as práticas livres do GP do Qatar, deixando claro que está buscando outro campeonato em 2019. No início do campeonato, as previsões foram reservadas para saber se as equipes participantes da série poderiam desenvolver motocicletas competitivas o suficiente para enfrentar a Honda e a Márquez. Porém, depois das múltiplas melhorias feitas durante as férias de inverno, ficou provado que este ano será um dos mais competitivos para a Honda. Além disso, foi também a partir das práticas para a primeira corrida deste ano, que a MotoGP correspondeu à expectativa de alta competitividade que se espera desta temporada para 2019, já que pilotos como Andrea Dovizioso, Alex Rins e Maverick Viñales – que teve muito bom ritmo no Qatar – levantaram as mãos por suas respectivas equipes, Ducati, Suzuki e Yamaha. O próprio Jorge Lorenzo já falou sobre quem são seus favoritos para competir com Márquez na atual temporada de MotoGP, e como mostrado pelo site da ESPN, ele não se incluiu, mas apontou para Dovizioso, Rossi e Viñales, como os pilotos a seguir em 2019. A já mencionada plataforma de apostas Betway dá a Dovizioso 20%, Rossi 13,3% e Viñales 4,8%, enquanto para Jorge Lorenzo, dá apenas 2% de chances de sair como campeão de MotoGP neste 2019.

Com 19 datas confirmadas no calendário de MotoGP para este ano, ainda há um longo caminho a percorrer na luta pelo primeiro lugar da competição e certamente, não será uma temporada fácil para Marc Márquez conquistar o seu sexto título na categoria rainha do motociclismo profissional.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do KartSP.

Comentários

Posts Relacionados