shadow

Sucesso nas pistas da Europa e Estados Unidos, os karts elétricos chegaram há um ano no Brasil e, rapidamente, conquistaram adeptos de muita adrenalina e velocidade. Instalado em Campinas, no Parque Dom Pedro Shopping, o primeiro kartódromo da América Latina que opera com karts 100% elétricos é resultado de tecnologia nacional de alto nível desenvolvida pela KartFly Electric Racing que, com pouco mais de um ano de operação, registra mais de 17 mil bilhetes de corridas vendidos.

Muito mais seguros e confortáveis que os modelos à combustão, os karts movidos à bateria possuem como grande diferencial um sistema similar ao que é adotado na Fórmula 1: o Sistema de Recuperação de Energia Cinética (SREC), mais conhecido como KERS (sigla em inglês de Kinetic Energy Recovery Sistem), que possibilita capacidade de aceleração bem maior do que dispõem os karts convencionais, graças ao torque diferenciado do motor.

Capaz de possibilitar a mesma velocidade e aceleração final, como explica um dos sócios da KartFly, o engenheiro Caê Castelli, o KERS torna possível reutilizar a energia do veículo que seria dissipada pelos freios para dar mais aceleração à corrida. “No kart movido à gasolina é necessário um tempo para crescer a potência, o que não ocorre com o kart elétrico, caracterizado por ter um torque muito forte independente da rotação. Pisou no acelerador o piloto já consegue alcançar o torque máximo do motor, sentindo uma emoção especial”, afirma Castelli.

Além da velocidade e potência instantâneas, ele conta que a tecnologia desenvolvida pela empresa também permite maior equilíbrio entre os pilotos, o que torna as corridas mais disputadas, uma vez que os karts elétricos podem ter a potência regulada de acordo com o peso dos competidores.

“A corrida é muito mais justa porque o desempenho dos karts é igual para todo mundo, então o que manda é a atuação dos pilotos na pista. O que não ocorre no sistema à combustão em razão do desequilíbrio apresentado entre os karts”, afirma.

Tecnologia pioneira

Dotados de motor com 13CV de potência e corrente alternada (AC) de indução, os karts elétricos da KartFly também possuem sistema powertrain próprio (composto por componentes que geram energia e transmitem ao eixo do veículo), projetado e produzido pela equipe de engenharia da empresa.

Com tecnologia pioneira em razão do conjunto de células de baterias de Lítio-Ferro-Fosfato, são os primeiros karts comerciais do mundo a operar neste modelo. Mesmo os desenvolvidos na Europa e nos Estados Unidos estão atrasados em uma geração em relação a esta tecnologia.

Todas as células do pack de baterias são gerenciadas e monitoradas individualmente por uma placa central– chamada VCU –, que abriga também o sistema de radiofrequência dos veículos. Através deste sistema, a equipe de operação de pista consegue limitar ou liberar a velocidade final dos karts por um controle remoto, tornando possível acionar os modos de corrida “adulto” (que chega a até 65 km/h), “júnior” (que chega até 35 km/h) e “tartaruga” (que chega até 10 km/h). O que garante total segurança aos pilotos, ao passo que é possível realizar intervenções nas corridas quando necessário.

E por falar em segurança, todos os carros possuem equipamento de segurança ‘Santo Antônio’ (proteção atrás do piloto que protege a cabeça) e cinto esportivo de 4 pontos, que garantem aos condutores uma corrida bastante segura.

Modelo sustentável

A baixa ocorrência de ruídos e a não emissão de poluentes ou fumaça são outras importantes características que diferem o kart elétrico do kart tradicional no modo de operação das pistas. Enquanto os motores à combustão produzem poluentes prejudiciais ao meio ambiente e que causam incômodo sonoro e olfativo, os movidos à bateria prezam pela sustentabilidade. Juntas, essas vantagens atraem cada vez mais pilotos profissionais e amadores – das mais variadas faixas etárias – que buscam por momentos de lazer em família ou entre amigos.

Sobre a KartFly

A KartFly começou a ser moldada em 2012 durante o Desafio Unicamp de Inovação Tecnológica, tendo conquistado o terceiro lugar na ocasião. Os sócios da empresa são ex-alunos de engenharia da universidade e os veículos hoje em funcionamento fazem parte da terceira geração de karts – resultado de estudos e inovação que levaram a um modelo ideal que atendesse a excelência esperada pelos sócios.

Inaugurado em abril de 2014, o kartódromo da KartFly possui pista com quase 600 metros desenhada para oferecer o máximo em velocidade, técnica e desafios. A atração inclui ainda local de briefing com vídeo de instruções, torre de cronometragem, placar eletrônico e oficina própria especializada. Uma área coberta integrada à lanchonete para realização de festas privadas e eventos corporativos, ambas situadas ao lado da pista de corridas, também integram o ambiente buscando oferecer maior conforto aos clientes.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do KartSP.

Comentários