shadow
A Indy deu um tremendo passo para o futuro. A categoria anunciou, nesta quinta-feira (1), que vai trocar a tecnologia de motores à combustão por um sistema híbrido de fonte única, que vai mesclar o sistema atual com uma carga elétrica a partir da temporada 2022.

 

Outro ponto que chamou muito a atenção foi a promessa de um aumento substancial na potência dos motores com a mudança de tecnologia. Atualmente, as unidades de potência ficam entre 550 e 700 cavalos, mas poderão até passar dos 900 cavalos em 2022.

 

A medida faz parte de um plano plurianual da Indy de desenvolvimento de tecnologia iniciado em 2016 e foi tomada em acordo com a Honda e a Chevrolet, atuais fabricantes de motor. As duas seguem trabalhando nos moldes atuais em 2021 e, para o ano seguinte, fazem a transição junto com a categoria. Até então, a mudança no regulamento estava prevista para acontecer na temporada de 2021.

A  Indy vai ter carros ainda mais rápidos em 2022 (Foto: Indycar)

“É uma época animadora para a Indy com as evoluções e inovações como o sistema híbrido incorporado no novo motor. Avançando pelo futuro, vamos nos manter leais às raízes dos nossos rápidos, barulhentos e autênticos motores, e simultaneamente com a habilidade de adicionar a tecnologia híbrida, que é um importante elemento para a categoria e as montadoras”, declarou Jay Frye, presidente da Indy.

 

Outros pontos que serão positivamente afetados com a mudança é o aumento no push-to-pass, a maior facilidade para se reiniciar o carro, menos bólidos morrendo no meio da pista e um sistema mais controlado para as largadas.

 

“A Honda está comprometida a correr para desenvolver pessoas e tecnologias relevantes para o futuro do esporte e do mundo. A Indy nos oferece a plataforma perfeita para provar que nossas ferramentes em um ambiente onde a mediação de sucessos e fracassos é cristalina”, disse Ted Klaus, presidente de desenvolvimento de performance da Honda.

900 cavalos são esperados para 2022 (Foto: Indycar)

A tecnologia híbrida consiste na recuperação de energia que é criada após as frenagens dos carros. Além da maior potência, também é uma mudança mais sustentável, seguindo a linha do que outras categorias já fazem.

 

“A Chevrolet apoia o adiamento da implantação do novo regulamento para 2022 e coincidindo com a introdução de novas tecnologias no chassi. A parceria entre Chevrolet e Indy segue como uma plataforma forte para exibição de novas tecnologias que nós incorporaremos em nossa produção de motores, e transferindo aprendizados em performance, confiabilidade e eficiência entre pista e exposições”, disse Jim Campbell, vice-presidente americano de performance da Chevrolet.

 


 

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

Fonte Oficial: Grande Prêmio

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do KartSP.

Comentários