shadow

 

Depois de nove temporadas no Mundial, a melhor delas em 2018, quando fechou o Mundial de Pilotos com a Renault com o sétimo posto, Nico acabou sem vaga, mas, mesmo assim, segue na torcida pelo time de Daniel Ricciardo e Ocon.

 

Ciente das dificuldades da Renault, Hülkenberg avaliou que a equipe tem “um grande desafio” pela frente, mas desejou o melhor aos franceses.

Nico Hülkenberg (Foto: Renault)

“Obviamente, eles ainda têm um grande desafio nas mãos”, disse Hülkenberg em entrevista ao site ‘GPToday’. “Com 2021 em mente, muitas coisas mudam e com 2020 eles querem progredir e escalar o grid”, seguiu.

 

“Este ano não foi um revés, mas não foi o ano que queríamos e precisávamos. Então eles têm esse desafio nas mãos de reagir a isso e fazer melhor no próximo ano”, comentou. “Vai ser um desafio interessante e tem um tempo pela frente, mas desejo a eles sorte e tudo de melhor”, concluiu.

 

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

Fonte Oficial: Grande Prêmio

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do KartSP.

Comentários