shadow

O GP de San Marino de Moto2 teve um final daqueles. Depois de pressionar pela corrida toda, Augusto Fernández bateu Fabio Di Giannantonio nos metros finais neste domingo (15) para conquistar a vitória em Misano.

 

Dono da pole, Di Giannantonio fez uma boa saída e se manteve no comando da disputa, à frente de Fernández. Os dois ponteiros seguiram unidos nos primeiros giros do GP de San Marimo, que só esquentou na oitava volta, quando Augusto tentou passar, mas acabou superado por Álex Márquez.

Augusto Fernández (Foto: Pons)

Com o #73 no comando da caçada, Di Giannantonio conseguiu abrir vantagem e, na 13ª volta, quando Fernández retomou o segundo posto, o ponteiro já tinha 0s988 de frente. O piloto da Pons, então, começou a descontar a vantagem do #21, que foi caindo volta a volta.

 

Vice-líder do campeonato, Fernández não partiu para riscos desnecessários e foi tentando se manter próximo de Di Giannantonio em busca de uma chance clara de tomar a ponta. No fim da penúltima volta, o espanhol colou para valer, mas o #21 conseguiu controlar os ataques.

 

Nos metros finais, Augusto passou com uma manobra por dentro, forçando o italiano a espalhar. O #40, então, seguiu firme para receber a bandeirada com 0s186 de vantagem.

Logo após a bandeirada, porém, veio o anúncio de que o Painel de Comissários iria rever a ultrapassagem do #40 na curva 14. A decisão, no entanto, só vai sair após os representantes da FIM (Federação Internacional de Motociclismo) falarem com os dois pilotos.

 

1s097 atrás da polêmica, Álex Márquez ficou com o terceiro posto, à frente de Tom Lüthi, que fez uma corrida solitária. Sam Lowes acabou em quinto, seguido por Brad Binder, Jorge Navarro, Xavi Vierge, Enea Bastianini e Lorenzo Baldassarri.

Saiba como foi o GP de San Marino e da Riviera de Rimini de Moto2:

 

Com o sol reinando no céu de Misano, a Moto2 teve mais um dia de sol e calor. Antes da largada, os termômetros marcavam 25°C, com o asfalto chegando a 34°C. A velocidade do vento era de 11 km/h.

 

Pela primeira vez na carreira, Fabio Di Giannantonio tinha a pole-position, a primeira de um estreante desde Álex Rins na Austrália em 2015 e a terceira da Speed Up na temporada. Líder do Mundial, Álex Márquez tinha o segundo posto, seguido por Augusto Fernández e Remy Gardner.

Veio a largada e Di Giannantonio segurou bem a ponta, com Fernández aparecendo em segundo e Tom Lüthi saindo muito bem de sétimo para terceiro. Gardner e Márquez vinham logo atrás, com o espanhol fazendo uma saída ruim.

 

Mas Márquez tinha ritmo para bem mais e, ainda na primeira curva, tirou Lüthi e Gardner do caminho, ainda ajudando o suíço a retomar uma posição que havia perdido para o australiano. No entanto, os dois primeiros colocados conseguiam abrir um pouquinho.

 

Diferentemente da Moto3, a Moto2 ia tendo uma corrida sem qualquer queda, bem tranquila neste aspecto. Fernández continuava pressionando Di Giannantonio e Lüthi seguia em cima de Márquez atrás de um pódio. Xavi Vierge ia para sexto, tentando se aproximar de Gardner.
 

A primeira queda foi de Adam Norrodin, na curva 16, com 19 voltas para o fim da prova, e meio que abriu a porteira, já que Marco Bezzecchi foi ao solo logo na sequência, mas este estava nos pontos.

Depois de algumas tentativas, Fernández finalmente passou Di Giannantonio quando o rival errou, mas ficou uma reta na frente, tomando o troco na curva seguinte e, de quebra, ainda perdendo o segundo lugar quando Márquez apertou o ritmo. Lüthi até podia ter ido também, mas foi mais cauteloso.
 

Pouco atrás dos ponteiros, mais duas quedas aconteciam praticamente sincronizadas. Gardner jogava fora uma excelente oportunidade de grandes pontos, enquanto Nicolò Bulega ia acumulando mais um resultado péssimo. Já sobravam 26 pilotos na prova.

 

Fernández estava mesmo pronto para manter a ótima fase e não queria saber de aceitar derrota. Se Márquez não conseguia seguir o ritmo de Di Giannantonio, Augusto partiu para cima do compatriota e retomou o segundo lugar. Mais atrás, Jorge Navarro errava e ia de quinto para sétimo, atrás de Lowes e Vierge.

Se já estava ruim com a queda de Gardner, ficou pior para a SAG, com Tetsuta Nagashima também indo ao solo e encerrando o final de semana da equipe bem mais cedo. Na briga dos primeiros lugares, Navarro passava Vierge, mas Binder ultrapassava os dois e já partia para colar em Lowes.

 

A prova ia entrando nas 10 voltas finais e Fernández bem disposto a tentar a vitória. O espanhol colava de vez em Di Giannantonio numa disputa que era mesmo duelo, com Márquez e Lüthi cada vez mais distantes.

A pressão de Fernández ia crescendo e o resultado era o italiano líder da corrida passando os limites da pista e tomando advertência, ficando pendurado de tomar 3s de punição e, fatalmente, perder até o pódio. Faltando 2 voltas, era o espanhol que ia na área verde, também ficando pendurado.

A dupla entrava na última volta e Fernández se jogava para passar Di Giannantonio, mas levava o troco na sequência. Então, sobrou para a curva 14 um enrosco bastante estranho. O espanhol escapou de novo do traçado e, não bastasse isso, ainda deixou a moto em cima do rival.

Porém, apesar de certo suspense, nada de punição para ninguém. O italiano, ainda que tivesse perdido a corrida, estava bem feliz, vibrando com os compatriotas que o apoiaram a prova toda.

 

Moto2 2019, GP de San Marino e da Riviera de Rimini, Misano, Final:

1 A FERNÁNDEZ PONS Kalex 41:12.535 25 voltas
2 F DI GIANNANTONIO Speed UP +0.186  
3 A MÁRQUEZ Marc VDS Kalex +1.283  
4 T LÜTHI Intact Kalex +2.733  
5 S LOWES Gresini Kalex +8.764  
6 B BINDER Red Bull KTM Ajo +8.952  
7 J NAVARRO Speed UP +9.928  
8 X VIERGE Marc VDS Kalex +12.844  
9 E BASTIANINI Italtrans Kalex +13.916  
10 L BALDASSARRI PONS Kalex +15.338  
11 L MARINI VR46 Kalex +17.881  
12 J MARTÍN Red Bull KTM Ajo +20.511  
13 A LOCATELLI Italtrans Kalex +21.714  
14 S CHANTRA Team Tady Kalex +28.673  
15 S MANZI Forward MV Agusta +30.791  
16 J ROBERTS American KTM +31.679  
17 B BENDSNEYDER RW NTS +32.104  
18 D AEGERTER Forward MV Agusta +32.324  
19 S CORSI RW NTS +34.048  
20 J DIXON Angel Nieto KTM +45.708  
21 I LECUONA American KTM +47.521  
22 L TULOVIC Kiefer KTM +54.782  
23 P OETTL Red Bull KTM Ajo +57.945  
24 A IZDIHAR Team Tady Kalex +1:03.822  
25 X CARDELUS Angel Nieto KTM +1:07.021 P+3s
  T NAGASHIMA SAG Kalex +1:00.432  
  R GARDNER SAG Kalex +1:00.934  
  N BULEGA VR46 Kalex NC  
  M BEZZECCHI Tech3 KTM NC  
  A NORRODIN SIC Kalex NC  
         
VMR A FERNÁNDEZ PONS Kalex 1:38.175 154.9 km/h
REC J FOLGER AGR Kalex 1:37.422 156.1 km/h
MV J ZARCO Ajo Kalex 1:36.754 157.2 km/h
         
  Condições do tempo PISTA SECA   ar: 25ºC | pista: 36ºC


 

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

Fonte Oficial: Grande Prêmio

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do KartSP.

Comentários