shadow

O kartismo brasileiro deu mais um passo para se alinhar ao padrão internacional adotado pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo) à modalidade. A consagrada categoria Shifer, destinada aos karts com marcha, passam a ter outro nome, se adequando ao que é adotado nas competições internacionais, chamando-se agora KZ.

A mudança no nome é mais uma etapa do processo de alinhamento com o kartismo internacional promovido desde o fim do ano passado pela gestão da CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo), encabeçada por Waldner Bernardo, o Dadai, em conjunto com a Comissão Nacional de Kart, comandada por Pedro Sereno.

Na última edição do Campeonato Brasileiro de Kart, que foi disputado no Kartódromo Internacional da Granja Viana, em julho, categorias de caráter continental e internacional foram adotadas na competição pela primeira vez, como a Internacional OK — seguindo os padrões da principal classe do Mundial de Kart —, além da Codasur e Codasur Junior, com base nos padrões adotados pela Confederação Sul-Americana de Automobilismo.

A mudança do nome de Shifter para KZ se dá com efeito imediato e, como forma de fixar a nova alcunha entre os competidores, a CBA e também a Comissão Nacional de Kart vão promover uma ação para a 20ª edição da Copa Brasil de Kart, marcada para os dias 8 a 13 de outubro em Vespasiano, Minas Gerais.

Como incentivo a garantir um maior número de kartistas no grid, a entidade que comanda o automobilismo nacional vai oferecer a taxa de inscrição para a categoria KZ de forma gratuita, sendo totalmente subsidiada pela CBA.

Fonte Oficial: Grande Prêmio

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do KartSP.

Comentários

Posts Relacionados