shadow

O dia da Shell no Velo Città não teve briga por pole, mas isso era esperado. Desta forma, a sétima colocação de Átila Abreu no grid para a corrida 1 do próximo domingo (10) foi até comemorada.

O bom posicionamento de Ricardo Zonta também foi celebrado pela equipe: o paranaense sai em 11°, em bom lugar para, ao menos, brigar pela pole da corrida 2, já que esta fica com o 10° colocado na prova que abre o final de semana.

Já pelo lado da Shell Helix Ultra os resultados ficaram abaixo: tanto Galid Osman, quanto Gaetano Di Mauro, já focam em conseguir uma etapa de recuperação para salvar pontos.


Com 1min28s659, Abreu ficou a 0s088 do Q3. Algo que ele não esperava, por isso analisou de forma positiva o treino: “Óbvio que passou muito perto, mas estou um pouco no lucro diante do problema que eu enfrentei no Q1. A marcha enroscava, não descia, cruzei a linha de chegada na volta em segunda, limitando, não conseguia mais subir marcha. Tinha dado problema na abertura de volta, ressetei, no último trecho piorou. Então, só de conseguir fazer o Q2 e não ter falhado, e de largar em sétimo é algo bom.”

É importante lembrar que esse sétimo é também o melhor lugar no grid conquistado por Abreu no ano: “Gostaríamos de estar no Q3, até pelo desempenho dos treinos. Outra coisa que pegou bastante foi que o sol apareceu, e a pista estava muito fria de manhã, com garoa. Nosso carro ficou traseiro, tínhamos um problema de frente, trabalhamos para corrigir isso e esquentou, aí o carro ficou traseiro. O tempo abriu bem na hora da classificação, e não podíamos mais mexer no carro.”

“Se tivéssemos deixado o carro do jeito que estava no treino, teríamos passado ao Q3. Faz parte, é igual para todos, obviamente buscamos algo que acabou não funcionando, mas a posição de largada é boa pensando na corrida, em bons pontos, em brigar pelo pódio. Vamos trabalhar para resolver esse problema para a corrida e brigar por mais uma vitória”, concluiu.

Ricardo Zonta (Foto: Divulgação)

Já Zonta, por sua parte, lamentou a mudança de temperatura citada pelo companheiro:  “O Q1 foi muito bom, ficamos em quarto, a um décimo e meio do primeiro lugar, sabendo que tínhamos potencial. O carro estava muito neutro no Q1, até não arrisquei nada, e o carro aceitou tudo o que fiz. Estava bem otimista para o Q2. É claro que a temperatura subiu dez graus entre o Q1 e o Q2, isso só pode ter interferido na minha performance porque o último trecho foi onde comecei a perder aderência nas rodas traseiras e não consegui fechar a volta para ficar entre os seis primeiros, acabei finalizando em 11º.”

“É uma pena, queríamos muito largar entre os seis primeiros aqui, uma pista difícil de fazer ultrapassagens. Sabemos que a estratégia é muito importante e vamos analisar melhor o que foi esse meu problema. Sei que essa temperatura de dez graus interfere bastante na temperatura dos pneus, na aderência, mas parecia que tinha óleo nos pneus traseiros. Vamos ver se não tem nada quebradinho que está vazando óleo antes de mudar qualquer setup, qualquer balanço do carro para amanhã.”, completou o #10.

Gaetano di Mauro (Foto: Divulgação)

Di Mauro larga em 20°, uma posição à frente do companheiro de equipe Osman. Por isso, o jovem piloto demonstrou tristeza com o treino em Mogi Guaçu.

“Uma pena, não conseguimos passar o pneu no treino, condição de meio seco e meio chuva, não sabíamos bem. Para o pneu usado estávamos bem, mas para o pneu novo acabou não funcionando. Vamos trabalhar e buscar amanhã alguma estratégia para colher bons pontos”, analisou.

Galid Osman (Foto: Divulgação)

Por fim, Osman teve que lidar com problemas: “Tivemos um problema no meu carro na corrida de Cascavel, e trocamos muitas coisas para chegarmos aqui com o problema resolvido, mas o problema persistiu.”

“Perdemos o primeiro treino inteiro e, como o fim de semana é curto com dois treinos e a classificação, numa categoria disputada como a Stock Car, o prejuízo é imenso. Vamos para a segunda corrida e tentar o maior número possível de pontos”, finalizou.

A corrida 1 está marcada para 11h em Mogi Guaçu. O GRANDE PRÊMIO acompanha a etapa do Velo Città, neste fim de semana, com o repórter Pedro Henrique Marum.

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

Fonte Oficial: Grande Prêmio

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do KartSP.

Comentários