shadow


O coach é um profissional cada vez mais requisitado no ambiente do esporte a motor. Via de regra, trata-se de um piloto dotado de notória experiência e grande capacidade de transmitir seu conhecimento técnico. É mais comum vê-lo no kartismo, ao lado de jovens talentos da modalidade, ou então em categorias destinadas aos gentlemen-drivers. Danilo Dirani, multicampeão no kart e dono de ampla experiência nas categorias fórmula, turismo — com passagens pelo antigo Brasileiro de Turismo e pela Stock Car — e até nos caminhões, é um dos profissionais mais requisitados do meio, a ponto de abrir, com o irmão Dennis, membro da Academia Shell Racing, a DDirani Coach para trabalhar ao lado de revelações do automobilismo brasileiro.


 


Os irmãos Dirani já tiveram a oportunidade de trabalhar com nomes que hoje brilham no Brasil e no exterior: Matheus Leist, hoje na Indy, Matheus Iorio e Guilherme Samaia, na Euroformula, e Gianluca Petecof, menino-prodígio do kartismo e que faz neste ano sua primeira temporada na F4 Alemã e Italiana, tiveram o talento lapidado pela dupla. 


 

A novidade para Danilo é a chance de dar sequência ao seu trabalho de coach com um piloto já consolidado pela sua experiência e vitórias na Stock Car. 2018 marcou o início da parceria entre o Dirani mais velho e Átila Abreu, dono de nada menos que três vitórias nesta temporada com a Shell V-Power. 


Átila Abreu e Danilo Dirani (Foto: José Mário Dias/Shell Racing)


Na visão do paulista de 35 anos, que divide seu tempo entre os trabalhos ao lado do sorocabano nos boxes da Shell Racing nas corridas da Stock Car com o ensinamento aos talentos do kart e sua presença como piloto e coproprietário de equipe da Copa Truck, é a chance de se reinventar e oferecer ao amigo uma visão nova dentro das pistas.


 


“Realmente, é uma experiência nova, por entrar numa categoria profissional, com um nível profissional”, explicou Danilo ao GRANDE PRÊMIO.


 


“Nesses últimos anos, venho trabalhando com pilotos jovens como o Matheus Leist, que entrou na Indy neste ano. Nesse ano não estou com ele, mas até sua chegada à Indy estive com ele. Assim como outros pilotos, como o Matheus Iorio, desde a F3, o Guilherme Samaia, até esse ano, também, desde a F3…”, contou o piloto e coach.


 


Danilo descreve os desafios de trabalhar pela primeira vez como coach na Stock Car. “Agora, numa categoria profissional, é levar uma visão de quem conhece de corrida numa hora que você precisa de uma visão mais ampliada. Porque o engenheiro do carro está focado no carro e o piloto está focado no trabalho dele. De modo que ter uma visão mais aberta de quem entende traz, com certeza, mais possibilidades, mais oportunidades durante a corrida e durante o fim de semana”.


 


“Muitas vezes, a equipe, na parte de acerto, vai para um caminho, e às vezes vou para a pista, dou uma olhada, e vejo como os outros fazem, então trazemos um outro olhar que eles não conseguem ver porque estão nos boxes, enquanto o piloto está lá guiando. É uma ajuda a mais e acho que realmente funciona. Não sabia que daria para usar num nível profissional, mas realmente encaixa e soma bastante com o Átila e a equipe”, acrescentou.


 


A vinda de Danilo Dirani para os boxes da Shell V-Power ajudou Átila a emendar uma série de bons resultados. O sorocabano vem de três pódios consecutivos, sendo duas vitórias: segundo lugar em Campo Grande e os triunfos em Cascavel e Velo Città, sempre na corrida 2. A esses resultados soma-se a vitória, também na corrida 2, em Santa Cruz do Sul, em maio.


 


Dirani, habituado a trabalhar com jovens talentos, ressalta que desempenhar sua função como coach de um piloto mais experiente tem suas vantagens.


 


“É muito mais fácil, na verdade. O Átila e eu nos conhecemos desde pequeno. Então, é muito mais rápido. Quando você está ensinando um piloto que está começando no fórmula, no turismo, você tenta trazê-lo para a linha certa e muitas vezes arrumar o carro para ele fazer”, avaliou.


 


“Outro exemplo é que um piloto novo às vezes não sabe se é ele que está fazendo errado ou se é o carro que não faz o trabalho. E aqui, não, é bem diferente”, assegurou.


 


Neste fim de semana, Átila Abreu enfrenta um novo desafio na temporada com a disputa da etapa de Londrina. E, novamente, com Danilo Dirani como trunfo para buscar conquistar mais uma vitória em 2018.

Fonte Oficial: Grande Prêmio

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do KartSP.

Comentários

Posts Relacionados